Enxerto de Orelha

ENXERTO DE ORELHA EM RINOPLASTIA ESTRUTURADA, RINOPLASTIA SECUNDÁRIA OU RECONSTRUÇÃO NASAL ESTÉTICA

A rinoplastia, dependendo da técnica utilizada, pode necessitar de diversos tipos de enxertos de cartilagem. No corpo humano, as cartilagens diferem da seguinte maneira:

  • Cartilagem hialina: Possui moderada quantidade de fibras colágenas. Forma o primeiro esqueleto do embrião, que, depois, é substituído por osso. Mesmo assim, alguns locais dos ossos ainda mantêm esse tipo de cartilagem. Ela é a mais abundante do corpo humano. É encontrada no disco epifisário, fossas nasais, brônquios e na traquéia.
  • Cartilagem fibrosa: Apresenta bastante quantidade de fibras colágenas. É encontrada nos discos que ficam entre as vértebras e na sínfise púbica (parte da bacia). Suporta altas pressões.
  • Cartilagem elástica: Possui pouca quantidade de colágeno e grande quantidade de fibras elásticas. É encontrada na orelha, na epiglote, na tuba auditiva e na laringe.

Portanto, a cartilagem da orelha tem característica elástica e pouca força estrutural.

Na rinoplastia, usa-se de preferência o septo nasal como fonte doadora de enxertos. No entanto, o desvio de septo é uma condição frequente na população e, quando for acentuado, pode prejudicar o seu uso na confecção dos enxertos. Mesmo assim,  Dr. Wulkan tem preferencia pelo enxerto de septo, tentando sempre torná-lo apto para o uso durante a plástica de nariz.

Outros tipos de cartilagens usadas na rinoplastia são provenientes da costela (saiba mais lendo ítem específico sobre costela nesse site) e orelha.

A orelha é naturalmente curva, com capacidade estrutural moderada e grande “memória” que é a tendência de se manter curva; é fácil perceber isso quando apertamos a orelha em direção à nossa cabeça e depois a soltamos, a orelha volta rapidamente para a sua posição original. Dessa maneira, a orelha deve ser usada com cautela durante a rinoplastia estruturada, respeitando suas particularidades. Visto que ela é naturalmente curva, o seu uso pode ser preferível em regiões curvilíneas, especialmente na ponta nasal e asas. O dorso, por ser reto, dificilmente recebe esses enxertos (mas tem médicos que utilizam e não tem consenso sobre isso).

O Dr. Wulkan tem preferência em usar enxerto de orelha em situações que demandam melhora no contorno mas não estrutural na rinoplastia.

Outra utilização muito importante e com grande eficácia do enxerto de orelha é para amenizar retração de asa nasal, cicatrizes nasais internas, alguns tipos de sinéquias e falta de mucosa nasal na parede lateral interna do nariz. Utiliza-se um pouco de pele e cartilagem da orelha de maneira conjunta nessas situações. Este enxerto modificado é chamado de enxerto composto de orelha.

As técnicas e metodologias da rinoplastia evoluem rapidamente. Conforme forem constatadas novas indicações para o uso de enxerto de orelha, estaremos atentos para sua utilização. Salienta-se que damos preferência para técnicas com um grande período de utilização antes de iniciá-las em nossa conduta médica pois visamos o bom resultado por muitos anos e não apenas para o bom resultado imediato.

O DR WULKAN FAZ PARTE DAS SEGUINTES ENTIDADES MÉDICAS

Dr. Marcelo Wulkan
Enviar