Rinoplastia secundária costuma ser mais complexa que a primária

Por possuir um alto nível de complexidade, a plástica de nariz, também chamada de rinoplastia, demanda amplo conhecimento científico-técnico, além de "sensibilidade artística" por parte do cirurgião.

Entretanto, a Rinoplastia Secundária, é ainda mais complexa, considerando que haverá modificações em uma estrutura nasal já alterada em cirurgia anterior, com anatomia e tecido cicatricial em pleno processo de recuperação.

Por isso, estar atento ao grau de qualificação do cirurgião, bem como ao seu histórico cirúrgico é fundamental para entender o possível tipo de resultado. O desafio, nesses casos, é realmente expressivo para o médico. Vale frisar ainda, que a rinoplastia secundária é considerada, sobretudo, uma segunda chance para melhorar a estética e funcionalidade da estrutura nasal, porém, com algumas limitações cirúrgicas.

Plástica de nariz secundária – Entendendo as limitações

Primeiramente, é importante destacar o seguinte fato: os pacientes com a pele de espessura média/grossa têm mais chances de obterem bons resultados na Plastica de Nariz secundária quando se necessita de uma camuflagem para irregularidades. Isso ocorre porque, caso a pele seja grossa, é como se existisse um coxim natural que cobrisse as irregularidades presentes entre as cartilagens/ossos e a pele.

Já nos pacientes com pele excessivamente fina os enxertos utilizados poderão ficar visíveis e até mesmo palpáveis, além de "artificial" o remodelamento realizado no nariz. Isso significa que, em algumas situações, mesmo que todas as técnicas corretas sejam aplicadas,não será possível atingir os resultados esperados com facilidade, se a conjuntura de características da pele e da própria anatomia não for favorável.Por outro lado, pacientes com pele fina tem maior retração de pele que pode mostrar mais refinamento no resultado.

Considerações especiais

Antes de começar o planejamento cirúrgico da rinoplastia secundária, é crucial que o cirurgião realize exames minuciosos e converse, claramente, com o paciente sobre as possibilidades de resultados, dentre da realidade.

O cirurgião escolhido para o procedimento devedominar as técnicas seguras, maximizando o resultado, de acordo com as condições estruturais resultadas na primeira cirurgia.

Por fim, o paciente deve obedecer a todo o aconselhamento pré-cirúrgico e repensar várias vezes, a decisão de se submeter à rinoplastia secundária. Se a insatisfação for pequena, é válido abrir mão de uma segunda intervenção, já que a perfeição é quase impossível de se alcançar, principalmente em um procedimento tão complexo como a plástica revisional.

O Dr. Wulkan faz parte das seguintes entidades médicas:
Certificados
Certificados
Certificados