Procedimentos

Orelhas / Otoplastia

 

PLÁSTICA DE ORELHAS / OTOPLASTIA / PLÁSTICA DE LÓBULO DE ORELHA

 

As orelhas podem variar de tamanho, posição e formato e são consideradas esteticamente bonitas justamente quando não chamam atenção. Ou seja, quando vistas de frente, as orelhas devem fazer parte do rosto como um todo e não como algo separado que destoa.

 

Dessa maneira, quando as orelhas são demasiadamente proeminentes, alargadas ou com um formato incomum, a harmonia facial pode ser comprometida. Em especial, as crianças podem sofrer preconceitos e chacotas por parte dos colegas na escola abalando a auto-estima das mesmas.

Mesmo que a orelha não seja verdadeiramente de “abano”, procedimentos bem pequenos podem trazer grandes benefícios à aparência da orelha.

A plástica de orelha também pode ser feita para casos de laceração do lóbulo de orelha decorrente do uso de brincos ou alargadores. Essas cirurgias podem ser feitas sob anestesia local em consultório e o paciente recebe alta imediatamente após o procedimento.

 

O QUE É A CIRURGIA PARA CORREÇÃO DE ORELHA EM ABANO?

 

 

A protrusão  e aspecto indesejado da orelha de abano pode ocorrer em um ou dois lados. A abordagem cirúrgica utiliza diferentes técnicas conforme o grau e tipo da distorção auricular.

 

A cirurgia visa trazer de volta o formato próximo do ideal das orelhas e sua relação quase simétrica para com a face do paciente.

 

A CONSULTA DE OTOPLASTIA

 

 

O Dr. Wulkan está à sua disposição para avaliação com hora marcada em consultório.

 

Um exame físico e funcional da área a ser operada será realizado com a conivência do candidato à cirurgia. As orelhas serão examinadas quanto à sua estrutura cartilaginosa e a pele que a recobre. A motivação e expectativa do paciente serão discutidas para esclarecer ao máximo se as mesmas podem ser alcançadas com a cirurgia. Com o auxílio de espelhos, o paciente pode mostrar ao seu médico como gostaria que ficasse a nova posição da orelha. Para isso, é só tracionar levemente para trás e em direção à cabeça, mas sem exagerar. Nesta etapa é importante se lembrar que a hipercorreção é comumente desejada pelo paciente que pode desejar o aspecto de “orelha colada” na cabeça. Além de não ser natural, também pode impedir o uso de óculos de grau ou de sol adequadamente.

Serão discutidos opções de anestesia, riscos, locais de cirurgia, intercorrências e possíveis complicações do procedimento nos mínimos detalhes. É importante lembrar que assim como todas as faces são assimétricas, os resultados da cirurgia podem não atingir as expectativas de “perfeita simetria”. O objetivo da cirurgia é tornar as orelhas com o formato e posição mais normal possível, mas não se pode garantir uma simetria plena.

O sucesso da cirurgia está diretamente relacionado com a habilidade do cirurgião, avaliação criteriosa da saúde do paciente e pós-operatório adequado. É esperado que o paciente compartilhe as expectativas da cirurgia e histórico médico. No final da consulta, serão solicitados exames pré-operatórios e avaliação de outros especialistas, se necessário.

O pós-operatório será explicado em detalhes. Embora a cirurgia de correção de orelha de abano geralmente tem sua recuperação rápida, é imprescindível que o paciente cumpra as orientações pós-operatórias e retorne ao consultório sempre que solicitado. Entre as orientações mais importantes, destacam-se o uso de faixa levemente compressiva nas orelhas e medicações prescritas pelo Dr. Wulkan.

O Dr. Wulkan encoraja os pacientes para que tragam suas dúvidas à consulta, a fim de que sejam esclarecidas com o máximo de acurácia possível.  A consulta termina quando todas as elucidações sobre plástica de orelha e otoplastia forem solucionadas e com a entrega de livro e/ou apostilas de autoria do Dr. Wulkan com mais informações sobre o procedimento, anestesia, preparo da cirurgia, cuidados pré e pós-operatórios.

 

O PROCEDIMENTO

 

 

A cirurgia de laceração ou alargamento do lóbulo de orelha é feita por meio de incisões no local acometido seguido de fechamento imediato da região ou, se necessário, rotação de retalho sobre o local (a pele e tecido perto do defeito é usada para preencher a região).

 

Cada cirurgia de orelha de abano e otoplastia são altamente individualizadas devido à grande variedade de formato, posicionamento, tamanho e ângulo que se forma com a parte posterior do crânio. O objetivo da cirurgia é diminuir a proeminência excessiva e melhorar a definição nas curvas naturais da cartilagem da orelha. Em especial, é comum que o terço superior da orelha não tenha as dobras naturais de cartilagem comumente presente na população em geral; isto vai ser abordado pelo Dr. Wulkan no mesmo tempo cirúrgico.

Em alguns casos, mesmo que apenas uma orelha esteja em protrusão, as duas podem ser operadas para se alcançar um aspecto mais natural para o tipo de face do paciente. Isto será decidido em comum acordo entre o paciente e o médico.

A cirurgia pode envolver várias técnicas ao mesmo tempo, dependendo do tipo de alteração que se deseja alcançar. Dessa maneira, o tratamento pode optar por um ou mais dos seguintes procedimentos:

-a incisão na pele é realizada atrás da orelha na região escondida e próxima ao crânio ou em algum sulco natural da orelha, tornando a cicatriz quase imperceptível (se o paciente tiver uma boa cicatrização). Portanto, este cuidado na técnica visa ajudar a esconder a realização da cirurgia e ajuda nas crianças que temem a chacota de outros colegas por terem feito a otoplastia.

- aumentar ou diminuir a distância da orelha para com a parte posterior do crânio.

- suturas (pontos) internas na orelha para modelar o novo formato pretendido e garantir a cicatrização ordenada. Vale ressaltar que durante o processo de cicatrização da plastica de orelha, o paciente deve usar faixa compressiva para ajudar a manutenção do resultado obtido. O motivo desse cuidado é que a cartilagem da orelha tem memória forte que tende a força-la a voltar para sua posição e formato originais.

- ressecção de excesso de cartilagem (este tempo cirúrgico não é feito em todos os casos).

- diminuição ou rotação do lóbulo da orelha.

- sutura cuidadosa da pele para se obter cicatriz com a melhor qualidade possível. Pode-se usar cola biológica para se fechar a incisão.

Mesmo com o inchaço normal pós-cirúrgico, os resultados da cirurgia são visíveis logo após a retirada dos curativos. Este fato traz bastante alegria aos pacientes que almejam resultados quase imediatos. O refinamento final da plástica de orelha e otoplastia é vista após algumas semanas ou meses.

 

SOU UM CADIDATO PARA A PLASTICA DE ORELHAS E OTOPLASTIA?

 

 

De maneira geral, podemos dizer que os seguintes pacientes podem ser submetidos à plástica de orelha de abano, otoplastia e plastica de orelha geral :

 

·         Crianças acima de 6-7 anos de idade que sabem comunicar seus desejos/expectativas e capazes de seguir instruções pós-operatórias. Nesta idade já ocorreu cerca de 80-90% do crescimento final da orelha. O ideal é operar o quanto antes para evitar traumas psicológicos e apelidos de mau gosto no período escolar.

·         Adultos de qualquer idade.

·         Pacientes saudáveis que não tenham contra-indicações médicas para serem submetidos a procedimento cirúrgico.

·         Pacientes sem dificuldades para cicatrização. Esta cirurgia pode trazer cicatriz hipertrófica ou queloidiana para quem tem tendência das mesmas.

·         Pacientes otimistas e realistas com a limitação do procedimento.

·         Pacientes que sigam à risca a orientação médica pós operatória e disponíveis para ir ao consultório sempre que solicitados. É preciso estar preparado para eventual intercorrência.

 

DEFORMIDADE DE ORELHA DO RECÉM-NASCIDO: TRATAMENTO SEM CIRURGIA

 

Existem muitos tipos de alterações no formato e tamanho das orelhas. A orelha de abano é apenas um tipo das deformidades ou alterações das orelhas.

Você sabia que as alterações nas orelhas do bebê podem ocorrer em até aproximadamente 30% dos recém nascidos? Dentro dessa grande porcentagem, estão inclusas desde pequenas até grandes alterações das orelhas. Conforme a criança vai crescendo, a relação da cabeça com a orelha muda e, em alguns casos, a alteração da orelha na criança se resolve sozinha. No entanto, poucos pais sabem que podemos tentar tratar as deformidades da orelha no recém-nascido já nas primeiras semanas de vida sem cirurgia. Quanto mais precoce o início do tratamento com curativos americanos EARWELL, maiores são as chances de sucesso.

(IMPORTANTE: O Dr. Wulkan não tem qualquer relação comercial com o produto EARWELL. Até o ano de 2018, apenas essa marca americana de moldes de orelha mostrou benefícios comprovados por cirurgiões plásticos americanos e publicações científicas em revistas de cirurgia plástica. Esta técnica não representa exclusividade de tratamento do Dr. Wulkan).

Para muitos médicos e pais, entendemos que uma abordagem precoce na orelha de abano do bebe ou outro tipo de deformidade SEM CIRURGIA é muito vantajoso pois, caso contrário, deveremos esperar até 6-7 anos para realizar o tratamento por meio de cirurgia. Tratando o aspecto indesejado da orelha perto do nascimento, a criança evita o incômodo por parte dos amiguinhos na escola sem abalar sua auto-estima.

 

COMO É O TRATAMENTO SEM CIRURGIA DA ORELHA DE ABANO EM BEBES OU OUTRA DEFORMIDADE DA ORELHA?

 

A solução para alguns casos de orelha de abano em bebes ou outras deformidades pode ser por meio de moldes e sem cirurgia pois, nas primeiras semanas de vida, o neném ainda tem hormônio estrogênio circulando em seu corpo; o estrogênio, enquanto presente no bebê, deixa a cartilagem da orelha maleável e plausível de ser moldada.

Na opção sem cirurgia, o cirurgião plástico treinado utiliza moldes pré-fabricados que são aplicados na orelha do bebê sem causar dor. Existe um preparo da região ao redor da orelha para receber o molde EARWELL.

É importante salientar que o molde não trata orelhas pequenas ou muito grandes; o objetivo é tratar o formato da deformidade da orelha do recém-nascido. Além disso, é fundamental passar em consulta com seu cirurgião plástico para avaliar se o EARWELL tem indicação no caso específico da criança.

Não existe consenso entre usar ou não o molde para tratar a deformidade auricular no recém-nascido. Alguns pediatras orientam inclusive a “esperar e ver como vai ficar ao longo do tempo”. No entanto, isso faz sentido para você? A maioria dos cirurgiões plásticos pensa que se existe a possibilidade de se usar um tipo de curativo/molde na orelha que não tem contra-indicação e não causa dor à criança, o bom senso diz que vale a tentativa.

ATENÇÃO: Não existe promessa de resultados de que o uso dos moldes de orelha EARWELL vai ter sucesso em todos os casos de tratamento. Tudo depende da deformidade da orelha do recém nascido, suas características biológicas e cuidados com o curativo para que o mesmo não caia. Além disso, sabemos que quanto antes se aplicar o curativo, especialmente no final da primeira semana de vida, maiores são as chances de sucesso. O ideal é que seja aplicado antes de 3 semanas; quanto antes, melhor!

Geralmente, o molde é usado por 14 dias e então é trocado por outro. Usualmente, a cada 14 dias se troca o curativo novamente e, entre 4 e 6 semanas o tratamento termina.

(IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS; NÃO REPRESENTAM PACIENTES REAIS OU TRATAMENTOS OU TÉCNICA EXCLUSIVA OU PROMESSAS DE RESULTADO; CONVERSE SEMPRE COM SEU MÉDICO DE CONFIANÇA PARA TIRAR DÚVIDAS)

 

 

 

 

O Dr. Wulkan faz parte das seguintes entidades médicas:
Certificados
Certificados
Certificados