O que é uso de enxerto na Rinoplastia?

A Rinoplastia privilegia tanto a estética do nariz quanto a sua função vital para o aparelho respiratório, pois é capaz de corrigir deformações e disfunções que prejudicam a respiração de grande número de pessoas no mundo todo, especialmente na região das válvulas nasais, cornetos e septo.

Este procedimento é realizado por profissionais que conseguem planejar qual tipo de intervenção é a melhor em cada caso e também qual tipo de remoção ou enxerto terá de ser realizado.

Tipos de enxerto utilizados na plástica de nariz

Existem basicamente dois tipos de enxertos disponíveis para o uso na plástica de nariz:

- Os enxertos aloplásticos: produzidos a partir de materiais sintéticos como por exemplo silicone, gore-tex e medpore, são extremamente resistentes ao longo prazo, bem facéis de ser manipulados e disponíveis em grande escala, contudo muitos especialistas não o recomendam pelo risco de infecção e extrusão desse material que não faz parte do corpo humano.

- Os enxertos autógenos: por serem retirados do próprio corpo do paciente, dificilmente causam reação no paciente, possuemuma força estrutural apropriada para serem utilizados como suporte, além de maleabilidade para reconstrução de cartilagens e também preenchimento de pequenos defeitos.

No Brasil, muitos cirurgiões preferem o uso de enxertos autógenos de septo, orelha ou costela na Plastica de Nariz.

Enxertos autógenos

Existem três lugares no corpo humano que podem ter algumas partes removidas para a criação de enxertos. São eles:

- Costela: normalmente usados quando vários enxertos são necessários por haver grande disponibilidade nesta região. Atualmente é considerado um dos melhores tipos de enxerto para os casos de afundamento nasal.

- Orelha: podendo ser reconstruído de forma curvilínea, esse enxerto pode ser usado na ponta do nariz.

- Septonasal: sua grande vantagem é que a remoção é feita no mesmo local da plástica de nariz, economizando tempo e novas cicatrizes em outros lugares. É o tipo de enxerto mais escolhido para a grande parte dos casos em rinoplastia primária.

E, para mais informações educativas sobre Rinoplastia Secundária, aprenda mais com as publicações do Dr. Marcelo Wulkan que possui doutorado pela USP e émembro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), International Confederation for Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery (IPRAS) e da American Society of Plastic Surgeons (ASPS).

O Dr. Wulkan faz parte das seguintes entidades médicas:
Certificados
Certificados
Certificados