Uso de arnica e outras condutas sem consenso na cirurgia plástica

arnica

Na cirurgia plástica existem muitas condutas antes e depois do procedimento que não tem consenso absoluto. Isso quer dizer que um médico que opte por realizar uma abordagem específica esteja correto e o outro que não a realiza está fazendo algo errado.

Uma dúvida frequente dentre os pacientes de cirurgia plástica que realizam rinoplastia, lipoaspiração, implante de silicone ou qualquer outra cirurgia que resulte em edema (inchaço) e equimose (cor escurecida perto da área operada) é o uso de Arnica, Gingko Biloba, bromelain, carica papaya. Estudo recente publicado na Plastic and Reconstructive Surgery entitulado como “intervenções para diminuir edema e equimose após rinoplastia” relata que as evidências científicas de benefício do uso de Arnica, Gingko Biloba, bromelain, carica papaya “são poucas e inconsistentes, embora a incorporação desses compostos não cause efeitos ruins nos pacientes”. Esse mesmo estudo aponta que condutas já usadas pelo Dr. Marcelo Wulkan desde 2009, tal como não usar tampão nasal e descolar o periósteo (tecido que fica aderido no osso nasal) antes da fratura do osso causam menos inchaço.

Os médicos também se esforçam para trazer benefícios ao paciente que realiza cirurgia de rejuvenecimento facial (ritidoplastia), plástica de pálpebra (blefaroplastia) e lipoaspiração; tentativas durante a cirurgia de diminuir a pressão arterial (causar hipotensão), uso de corticóides, resfriamento do local (uso do soro congelado durante a após a cirurgia), e manter a região operada elevada (ou seja, manter a cabeça preferencialmente elevada 30-45 graus). De todas essas condutas citadas, embora também não tenhamos consenso absoluto dentro da literatura médica, a posição elevada da cabeça parece ser notoriamente benéfica e sem riscos para o pós operatório.

Como vimos, as condutas nas etapas da cirurgia plástica, seja para uma rinoplastia secundária, lipoescultura, redução de mamas, facelift ou qualquer cirurgia de contorno corporal, podem ser diversas. Portanto, é importante seguir apenas as condutas do médico responsável pela sua cirurgia. Evite seguir conselhos obtidos por amigos ou pela internet sem antes consultar o médico que te operou e realmente está cuidando de você.