TRATAMENTO ESTÉTICO PARA PACIENTES SOROPOSITIVOS

O tratamento de pacientes soropositivos foi abordado com intensidade na ultima Jornada Paulista de Cirurgia Plástica, que é o terceiro maior evento do tipo no mundo e no qual o Dr. Wulkan participou e lecionou palestra sobre cirurgia de nariz.  “Hoje em dia, o paciente não morre pelo HIV, mas por algumas sequelas como perda de gordura corporal no corpo, ou o acúmulo faz com que a pessoa fique estigmatizada. Ao corrigir essas alterações estéticas, as pessoas passam a viver uma vida mais normal”, disse à Agência Efe o presidente da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
O Dr. Wulkan concorda com esta posição da SBCP e atua na área de correção de sequelas como perda de gordura em áreas específicas do corpo (ex: face).Essa perda ou acúmulo é classificada como lipodistrofia, comum em pessoas portadoras do vírus por precisarem tomar muitos medicamentos que geram acúmulo de gordura nos braços, pernas, glúteo, nuca e tórax, que pode ser eliminado com cirurgia plástica, como explicou o presidente da Regional.
“A cirurgia plástica é cada vez mais segura, hoje as tecnologias ajudam nessa qualidade. Ela aparece como excelente opção para o tratamento desses casos, que oferece também a elevação da autoestima desses pacientes”, comentou o presidente.
Graças ao avanço nas pesquisas e a eficácia dos medicamentos, expectativa de vida dos pacientes soropositivos cresceu e os mesmos desejam melhor qualidade de vida.
“O que a medicina tem observado é que a gordura não só aumenta o volume, mas há uma melhora de qualidade de pele, por exemplo”, disse opresidente da Regional. O Dr. Wulkan acompanha os trabalhos científicos da área e concorda plenamente com esse novo caminho da cirurgia plástica pois observa que a lipoenxertia estruturada pode realmente melhorar o volume facial (e de outras regiões) de maneira tridimensional e natural.

(IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA)