RINOPLASTIA ESTRUTURADA: QUANDO NÃO DEVEMOS OPERAR

Está ficando comum ocorrer no consultório de especialista em rinoplastia nos Estados Unidos que o paciente deseje operar o nariz a todo custo mas o cirurgião plástico opte por não operar. Mas afinal, o que pode levar ao fato de um médico se negar a fazer a rinoplastia no paciente? Simples… o próprio afeto e respeito ao paciente por parte do cirurgião plástico.

Isso parece difícil de entender, mas na verdade não é. O médico tem que sempre preservar ao máximo a integridade física e emocional do paciente. Às vezes, o paciente deseja fazer algo que na realidade não vai ter um benefício real ou mesmo pode prejudicar a sua vida. Nessas situações, o especialista em rinoplastia deve ser ético e mostrar ao paciente que a plástica de nariz pode não ser uma boa opção para ele. Com isso, o médico está preservando o paciente de ter consequencias negativas em sua vida, principalmente do ponto de vista emocional.

O cirurgião plástico com foco em rinoplastia (não existe no Brasil a qualidade de especialista em rinoplastia pois a cirurgia plástica é indivisível aos olhos da lei vigente) deve tentar perceber o que leva o desejo do paciente a querer mudar a forma do seu nariz. Será que o paciente deseja um ganho secundário com a cirurgia, tal como obter um emprego melhor, resgatar um amor, ser mais aceito entre seus amigos ou algo parecido? Nesses exemplos, a rinoplastia secundária ou mesmo primária não tem indicação pois uma mudança na aparência não garante tais ganhos. A beleza é composta também pela forma como a pessoa se comporta, pelo seu íntimo, educação… e isso a cirurgia plástica não modifica.

 

O EFEITO MICHAEL  JACKSON DA RINOPLASTIA

 

rinoplastia estruturadaO dismorfismo corporal também contra-indica a rinoplastia. A não aceitação do se corpo e aparência de maneira a causar grande tristeza para a pessoa tem que ser primeiramente avaliada por psicólogo e psiquiatra.

Um grande exemplo de dismorfismo e busca incansável pela aparência utópica ideal é do gênio Michael Jacskon. O cantor realizou inúmeras cirurgias, tentando mudar o que já não precisava ser mudado. Num certo período de sua vida, a rinoplastia étnica realizada foi muito bem sucedida. Nesse momento, os médicos que acompanhavam o artista deveriam ter sido enfáticos que não realizariam mais nenhuma cirurgia pois o resultado estava natural para sua etnia e traços faciais. No entanto, algum cirurgião optou por cruzar o limite da ética e realizar nova rinoplastia, desencadeando uma série de cirurgias no cantor que nunca ficava satisfeito. Além disso, provavelmente ocorreu prejuízo na parte da respiração do Michael, tornando a conduta abordada ainda pior.

 

FAZENDO RINOPLASTIA COM OS PÉS NO CHÃO

 

Consideramos importante que a dupla paciente-médico estejam alinhados e em harmonia quando se planeja fazer a cirurgia. O paciente não tem conhecimento de discernir se está apto para sua cirurgia; esta função é exclusiva do médico que vai fazer a rinoplastia. Tal como um pai que aconselha o filho para o seu próprio bem, o médico também deve dar conselhos cosntrutivos, mesmo que esses pareçam não ir de acordo com o desejo do paciente. Afinal, o médico ético deseja sempre o bem do paciente e, às vezes, não realizar a rinoplastia em uma pessoa que não está apta para isso, é o melhor caminho para demonstrar afeto e cuidado do paciente.

Consulte sempre um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para tirar suas dúvidas sobre rinoplastia secundária e rinoplastia estruturada.

www.drwulkan.com.br/rinoplastia-plastica-de-nariz

(IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS; NÃO REPRESENTAM PACIENTES REAIS OU TRATAMENTOS OU PROMESSAS DE RESULTADO)