RESPONDENDO A DÚVIDAS SOBRE ARTIGO DE RINOPLASTIA NA REVISTA VEJA

rinoplastia secundariaMATÉRIA POLÊMICA SOBRE RINOPLASTIA NA REVISTA VEJA

 

À pedidos de pacientes e pessoas com dúvidas em rinoplastia, o tópico de hoje do blog será sobre a matéria da semana passada da revista semanal “Veja”. Com o título de “Adeus, martelo”, o artigo vagou sobre o assunto de maneira pouco responsável.

A medicina é uma ciência de verdades transitórias e somos favoráveis à associação de tecnologia em nosso arsenal médico e de instrumentos de rinoplastia secundária e plastica de nariz primária. No entanto, nem tudo que surge como novo deve ser compreendido rapidamente como uma quebra de paradigma. Aliás, o modismo dentro da cirurgia plástica sobre novas tecnologias e abordagens cirúrgicas é bem conhecido pelos médicos éticos e, por isso, ponderam muito antes de adotar um novo procedimento/equipamento.

rinoplastiaRINOPLASTIA COM PIEZO

Na matéria da revista, comentou-se que a rinoplastia com o Piezo “muda drasticamente o procedimento”. Na opinião de muitos cirurgiões cujo foco maior de atuação é a rinoplastia, essa afirmação é duvidosa.

Nos congressos de rinoplastia não se fala sobre o uso da rinoplastia ultrassônica como o futuro da cirurgia. Um dos motivos é que o Piezo só é usado em parte de osso e o nariz é composto por ossos e cartilagens. Ou seja, uma das áreas mais complexas da rinoplastia que é o tratamento da ponta nasal (estrutura exclusivamente formada por cartilagens) não é abordada pelo Piezo. Outro fato importantíssimo é que o Piezo não ajuda/modifica em nada o uso de enxertos de cartilagem. Existem dezenas de tipos de enxertos de cartilagem que podem ser usados no nariz e o uso de cada um deles depende do conhecimento e experiência do cirurgião plástico que faz a cirurgia.

rinoplastia com piezo

RINOPLASTIA SECUNDARIA E RINOPLASTIA COM ENXERTOS

Mas entao, o que mudou até agora com o uso do Piezo? Absolutamente nada. Nesta ultima figura observamos um osteótomo de 2 mm. Sim, apenas 2 mm de largura. Esse instrumento é usado pelo cirurgião plástico para fazer a fratura do osso nasal (quando indicada) na rinoplastia. Trata-se de um instrumento extremamente delicado e que pode ser usado sob visão direta também, tal como é feito com o Piezo.

As pessoas que usam o Piezo dizem que sangra menos pois não lesa vasos. Essa mesma abordagem pode ser feita com o osteótomo que sob visão direta (ou “empurrando as partes moles que contém os vasos) também preservam os principais vasos que causam sangramento durante a fratura do nariz. No entanto, quem faz osteotomia (fratura) da rinoplastia por via externa, não precisa descolar tanto os tecidos como se faz com o uso do Piezo. É sabido que quanto mais descolamento do nariz, mais inchaço teremos…Portanto, para um eventual ganho, o Piezo pode pontencialmente gerar mais inchaço.

Teremos a oportunidade de oferecer aos nossos  pacientes de rinoplastia a tecnologia do Piezo. No entanto, vamos ter a cautela de explicar todos os prós e contras dessa tecnologia pois, como vimos, ainda não temos consenso absoluto de que ela realmente é a melhor opção para nossos pacientes. Estamos abertos a novas tecnologias mas é nossa prioridade a segurança e qualidade do atendimento a quem deseja rinoplastia. E para isso, somos rigorosos para quaisquer mudanças em rotinas cirúrgias que tem gerado bons resultados.

Vamos manter o blog atualizado sobre esse assunto conforme tenhamos mais informações e condutas de rinoplastia adotadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

(IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS; NÃO REPRESENTAM PACIENTES REAIS OU TRATAMENTOS OU TÉCNICA EXCLUSIVA OU PROMESSAS DE RESULTADO; CONVERSE SEMPRE COM SEU MÉDICO DE CONFIANÇA PARA TIRAR DÚVIDAS)