PROCEDIMENTOS FACIAIS ESTÉTICOS NÃO CIRURGICOS

rinoplastia estruturadaÁCIDO HIALURÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA

 

Nesta ultima semana, saiu em uma revista semanal uma publicação muito interessante sobre medidas da beleza.

Falou-se muito nessa matéria sobre a “proporção áurea” que já foi muito usado pelos gregos para reproduzir figuras harmoniosas e consideradas bonitas. Em teoria, quando se divide várias áreas da face em determinadas regiões, quanto mais próximo se chegar ao número da proporção áurea (1,618), mais bonita é a pessoa.

Esse conceito já foi muito discutido entre os cirurgiões plásticos de todo o mundo e a verdade é que ainda não temos consenso sobre o assunto. Isso não quer dizer que esteja errado (ou certo) quem pensa em atingir esse número; apenas não podemos analisar, por exemplo, o resultado de uma rinoplastia por meios exclusivamente matemáticos. Isso vale também para outras cirurgias, tal como implante de mama, contorno corporal com lipoaspiração, plástica dos olhos (blefaroplastia) etc.

É interessante tentar deixar tudo “matemático” para tentar se alcançar a beleza ideal; no entanto, ainda não temos consenso se realmente isso funciona. Afinal, não compreendemos por completo o motivo de como o cérebro pensa se algo que vê lhe agrada esteticamente ou não.

 

especialista em rinoplastiaRECONSTRUÇÃO ESTÉTICA COM RECURSOS DERMATOLÓGICOS

 

A matéria em questão chama um procedimento corriqueiro em clinicas de cirurgia plástica como algo inédito; na reportagem, usaram o nome de reconstrução estética. A rigor, diferentemente do que ocorre com outras situações tal como reconstrução estética do nariz usando subunidades estéticas conhecidas ou mesmo em rinoplastia secundária, na abordagem ilustrada na reportagem não ocorre reconstrução real. Pelo entendimento de muitos, ocorre uma reposição volumétrica para compensar a perda de contorno facial.

Já se utiliza de rotina as condutas faciais abordadas na reportagem, usando gordura do próprio paciente (técnica de lipoenxertia) ou preenchimento com ácido hialurônico de alta densidade. A gordura transplantada será reabsorvida mas ainda não se sabe ao certo quanto do que foi aplicado vai restar para o paciente. Já o ácido hialurônico, será totalmente absorvido pelo organismo. Por isso, muitos pacientes tem preferido o uso da gordura do próprio corpo; tudo depende da vontade, expectativa de resultados e indicação feita pelo cirurgião plástico.

 

rinoplastia secundariaAPLICAÇÃO PARA RINOPLASTIA, VOLUME FACIAL, IRREGULARIDADES EM GERAL

 

O ácido hialurônico pode ser usado como complemento de rinoplastia, especialmente em pequenas áreas no dorso. Essa aplicação ainda não tem total consenso entre os médicos e portanto, caso seja feita, deve ser realizada por médico experiente e em pouca quantidade. É absolutamente necessário dominar a técnica e conhecer a anatomia do nariz.

O número de ouro ficou mais conhecido a partir do século XVI quando começou a ser associado a beleza. Ele está presente em muitas coisas da natureza, desde pequenos microorganismos até coisas de dimensões incriveis. Quando se leva esse conhecimento em conta durante o planejamento do médico, podemos volumizar e estruturar a face com gordura ou ácido hialurônico. Mesmo assim, o bom senso do seu médico de escolha (verifique em www.cirurgiaplastica.org.br se é membro cirurgião plástico da SBCP) deve ser imperativo para te trazer resultados naturais. Afinal, não existe uma receita única de beleza. A unicidade de cada pessoa que deve ser desvendada pelo seu cirurgião plástico.