O procedimento da Rinoplastia

Alguns procedimentos são muito frequentes na rinoplastia.
Mas, não há uma padronização do método, afinal, a abordagem é personalizada.
Lembrando também que não existe um especialista em rinoplastia, mas sim médicos com um foco maior de atuação em determinada área dentro da cirurgia plástica, tal como a rinoplastia. O mesmo acontece com médicos que fazem mais reconstrução mamária ou de face; eles nao são “especialistas” nisso mas como tem maior foco de atuação nessa área, acabam sendo mais procurados para fazer essas cirurgias.

A seguir, listamos uma sequência cirúrgica usualmente feita pela rinoplastia estruturada:

1. Paciente inicia o procedimento sob anestesia geral associada à anestesia local. Existem médicos e pacientes que optam apenas pela anestesia local com sedação.

2. Abertura do nariz com cuidado, para explorar todas as estruturas cartilaginosas e ósseas. É preciso ter atenção redobrada neste momento, pois é importante para se evitar perfuração da mucosa nasal (“forro” que cobre a parte de dentro do nariz).
A preservação da mucosa nasal íntegra durante a rinoplastia evita complicações como cicatrizes internas (bridas) que prejudicam o fluxo de ar e infecção dos enxertos (pedaços de cartilagem esculpidos inseridos dentro do nariz).

3. Avaliação do dorso nasal em relação à ponta do nariz. Dependendo do tipo de pele, raça e estudo de proporções faciais, esta proporção deve ser restaurada de maneira precisa para manter a naturalidade e beleza da rinoplastia. É fundamental manter a força estrutural do nariz para que não ocorra seu “desabamento”, evitando a formação de deformidades (ex: V invertido, pinçamento nasal).

4. Minimizar alterações no septo (ex: esporão, desvio septal,…) e cornetos (“carnes esponjosas”).
Essencial para esta etapa é a respiração, que é capaz de tornar o fluxo de ar mais uniforme e retilíneo. Por isso, pode-se optar pela cirurgia conjunta com otorrinolaringologista para maximizar os resultados funcionais.

5.  Alguns enxertos são usados com frequência: o strut columelar, spreader grafts e o lateral crural strut grafts (veremos um pouco mais sobre eles nos próximos textos).

6. Para o tempo cirúrgico que envolve a escultura da ponta nasal são levados em consideração o sexo, idade, espessura da pele, raça e desejos do paciente. Não se pode prometer resultados perfeitos pois a característica biológica de cada pessoa vai interferir de maneira individual no processo de cicatrização da rinoplastia.
7. Revisão da parte respiratória do nariz. A Atenção é redobrada no septo. Os cornetos também podem ser operados conforme necessidade.

8. Quando necessário, é realizado a fratura dos ossos nasais para diminuir a largura da parte óssea nasal. Atualmente, muitos médicos preferem evtar a fratura dos ossos nasais sempre que possível.

9. Para finalizar, a plástica do nariz termina com a redução da asa nasal quando necessária. Esta etapa é mais requerida em pacientes de origem asiática ou negra, mas pode ser feita em pacientes de outras raças também.É sempre bom ser conservador na redução de asa nasal, pois o exagero pode ser muito difícil de ser tratado.

10. A cirurgia termina com a colocação de curativos externos e internos. Atualmente, utilizamos curativo interno de silicone com “canudinhos” que permitem o paciente respirar imediatamente após o término da rinoplastia. Isso traz muito conforto no pós operatório.

(FOTO/DESENHO MERAMENTE ILUSTRATIVA; NÃO REPRESENTA PACIENTE REAL E NÃO REPRESENTA PROMESSA DE RESULTADOS)