Lipoaspiração pode ser parte do tratamento para lipedema

lipedema e rinoplastia

Lipedema é uma doença que altera o tecido gorduroso do corpo e sua distribuição. Os principais sintomas da doença incluem intenso inchaço das pernas, que fazem com que elas se alarguem dos tornozelos até os quadris, de forma desproporcional com o resto do corpo. Há também sensibilidade extrema, dor e hematomas, tornando difícil a mobilidade do paciente. Esta doença pode ser confundida com obesidade ou o linfedema mas um diferencial é que o lipedema apresenta uma progressão e, portanto, a gordura continua a acumular e pode causar complicações como cicatrizes, infecção, dor e falta de mobilidade.

De acordo com a Fat Disorders Research Society (EUA), a lipoaspiração pode aliviar a dor intensa provocada pela doença. A terapia de compressão e massagem podem ajudar, mas o lipedema não pode ser controlado com mudanças na dieta ou exercícios.

O diagnóstico é baseado nos sinais clínicos e sintomas. No mecanismo da doença, observa-se  que o linfedema ocorre frequentemente com lipedema, porque as células de gordura aumentadas prejudicam a drenagem dos vasos linfáticos, causando ainda mais inchaço na região. Ainda não se sabe a causa; provavelmente tem relação com a genética ou com alterações hormonais, como a gravidez ou a menopausa.

O procedimento cirúrgico envolve múltiplas sessões (3 a 5 em media), a cada 3-4 meses e o volume aspirado deve obedecer aos limites de aspiração para cada paciente. No Brasil, até o momento, o procedimento não tem cobertura dos planos de saúde.

Entedemos que a lipoaspiração deve ser entendida também, em casos selecionados, como uma alternativa no tratamento de algumas doenças como o lipedema e mesmo o linfedema. Não se pode emagrecer um nariz durante uma rinoplastia com a lipoaspiração, assim como a lipoaspiração não faz um contorno corporal adequado em pacientes com sobrepeso com estrias an região operada e pouca elasticidade na pele. A lipoaspiração tem sua indicação precisa e sempre deve ser feita por médico cirurgião plástico capacitado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Temos observado muitos médicos não cirurgiões plásticos e, pior, pessoas não formadas médicos (ex: biomédico, farmaceutico, esteticista,…) que se aventuram a fazer procedimentos de exclusividade da cirurgia plástica e acabam por causar deformidades nas pessoas. Alguns desses “pseudo-cirurgiões plásticos” já falaram sobre rinoplastia sem corte apenas com lipoaspiração, rinoplastia usando PMMA, lipoaspiração da “papada” em ambiente não esterilizado, entre outras coisas, banalizando os procedimentos sérios da cirurgia plástica. Alertamos nossa população para sempre se consultar com cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A saúde do paciente não pode ficar nas mãos de pessoas despreparadas.

(IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS; NÃO REPRESENTAM PACIENTES REAIS OU TRATAMENTOS OU PROMESSAS DE RESULTADO)