BLEFAROPLASTIA OU PLÁSTICA DAS PÁLPEBRAS: QUANDO É O MOMENTO PARA SE OPERAR?

 

A beleza do rosto esta relacionada a uma conjuntura de fatores:  hidratação e aparência da pele, proproções faciais do nariz, boca, orelha e olhos, volume da maça do rosto, formato e projeção da mandíbula, entre outras coisas. O terço médio da face é uma parte mais vista por estar mais centralizado. Ou seja, o nariz, volume da maça do rosto e olhos são muito notados por todos. Para o nariz temos a rinoplastia que pode mudar o tamanho, formato, projeção (ver mais sobre rinoplastia estruturada na nossa página). O volume da maça do rosto (proeminência malar) pode ser melhorada com lipoenxertia estruturada ou com ácido hialurônico (procedimento estético feito e consultório). A beleza, hidratação e textura da pele podem ser melhoradas com procedimentos dermatológicos como laser e peelings. Mas e a parte dos olhos? Podemos operar sempre que desejar? Vamos falar um pouco sobre esse “espelho da alma” a seguir.

 

BLEFAROPLASTIA SUPERIOR

 

Na pele da pálpebra de cima, com o decorrer dos anos pode ocorrer a caída e provocar um excesso de pele na região. Pode cobrir tanto a parte do olho que está perto do nariz como na parte perto da lateral. Às vezes, pode ser tão extremo que pode cobrir parte do olho e comprometer a visão.

O cirurgião deve se atentar com a glândula lacrimal que fica na parte superior e lateral do olho e de duas bolsas de gordura. Atualmente, tem-se retirada o menos possível de gordura para não deixar o olhar profundo.

A cicatriz costuma ficar muito boa pois fica escondida na dobra de pele natural que existe na pálpebra superior. É quase inaparente, tal como aquela que existe na rinoplastia secundária que faz a incisão na columela (parte de pele entre as narinas). Em até um ano a cicatriz costuma clarear bastante.

 

BLEFAROPLASTIA INFERIOR

 

Ao longo dos anos, a pele das pálpebras torna-se mais flácida e fina. Isso se deve a fatores biológicos, ação do sol por anos, força da gravidade, pouca hidaratação da pele, etc.

A cirurgia de plastica de palpebra inferior é tecnicamente mais difícil para o cirurgião. Ele deve se atentar para um mecanismo de contensão da pálpebra que funciona como um “cinto que aperta a calça para não cair”. Quando esse “cinto” está fraco ou muito largo, a parte branca dos olhos fica mais evidente e com o canto do olho caído. Para melhorar isso, o cirurgião pode optar pela cantopexia ou cantoplastia (veja mais em nossa página de blefaroplastia). Outra possibilidade conjunta é aplicar gordura por lipoenxertia estruturada em planos profundos e perto do osso. Isso “empurra” para a frente a área da maça do rosto e ajuda na belexa da região.

Existem técnicas de blefaroplastia inferior que não deixam cicatriz pois o acesso é pela conjuntiva do olho (blefaroplastia transconsjuntival); nessa abordaem, existe basicamente excesso de gordura mas a pele é pouca ou tem boa elasticidade. Quando se retira pele, a incisão fica a poucos milímetros dos cílios e quase inaparente. Estas incisões podem ser prolongadas, quando necessário, para a parte das rugas que ficam na parte de fora dos olhos.

 

QUANDO OPERAR DE BLEFAROPLASTIA?

 

Apenas durante a consulta médica presencial seu cirurgião plástico poderá dizer se você é ou não um paciente apto para a blefaroplastia.

Assim como acontece com a rinoplatia, abdominoplastia e outras cirurgias plásticas, é preciso ter indicação para a cirurgia plástica das pálpabreas. Atualmente podemos até retardar um pouco a cirurgia usando modernos procedimentos de laser e peelings. No entanto, num determinado momento, a cirurgia pode ser a única solução para rejuvencer a área dos olhos, especialmente quando for necessário ressecar excesso de pele.

Recomendamos sempre operar apenas com médicos da SBCP pois a blefaroplastia é uma cirurgia extremamente delicada e milimétrica; se realizada por médico inexperiente ou não cirurgião plástico pode trazer complicações de difícil resolução.

(IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS; NÃO REPRESENTAM PACIENTES REAIS OU TRATAMENTOS OU PROMESSAS DE RESULTADO)