A anestesia na Cirurgia Plástica

A evolução da anestesia na cirurgia plástica permite a realização dos procedimentos cirúrgicos com segurança tanto para o cirurgião quanto para o paciente.
É primordial que o paciente se sinta seguro para a realização de qualquer procedimento cirúrgico. Este deve ser ainda maior, principalmente no caso da cirurgia plástica estética, visto que é realizada, na maioria das vezes, em pacientes saudáveis.

É bom recordar que o médico anestesiologista é o único profissional habilitado para a realização de procedimentos anestésicos (exceto para anestesia local pura que pode ser feita pelo cirurgião).

Os tipos de anestesia mais utilizadas em cirurgia plástica são:

- Anestesia local

- Sedação

-Anestesia local com sedação

- Raquianestesia

- Peridural

- Anestesia Geral

A escolha da técnica anestésica a ser empregada é responsabilidade do médico anestesiologista. Ele fará a escolha baseado na cirurgia que será realizada, no tempo cirúrgico e nas condições clínicas do paciente.
Em algumas situações, existem mais de uma opção do tipo de anestesia; nesses casos, o paciente pode optar por sua preferência pessoal contanto que o seu médico de escolha considere que a mesma será segura para o procedimento em si.

Durante o procedimento cirúrgico o paciente tem sua ventilação (nível de oxigenação), pressão arterial e batimentos cardíacos monitorizados pelo médico anestesiologista, que permanece na sala cirúrgica do início ao fim da cirurgia e da anestesia.
Ao final da cirurgia, o paciente é encaminhado à sala de recuperação pós-anestésica (na maioria das vezes), aonde permanece até apresentar as condições adequadas para ser encaminhado novamente ao quarto.

Dr. Marcelo Wulkan
Rinoplastia/ Cirurgia Plástica

(Imagem meramente ilustrativa; Não representa paciente real)