A proteção do sol após rinoplastia

Considerada por muitos, como a solução para elevar a autoestima se o problema for a insatisfação com o nariz, a rinoplastia tornou-se um dos procedimentos cirúrgicos mais requisitados da atualidade. Inclusive, a cirurgia pode ser associada a outros procedimentos nasais com objetivos funcionais, tais como: correção do septo nasal, turbinectomia (cirurgia da carne esponjosa) que é a retirada de parte dos cornetos nasais.

No que tange ao pós-operatório, o paciente deverá tomar alguns cuidados prescritos com antecedência pelo cirurgião. Um deles é a proteção solar, que precisa ser seguida a risca para evitar complicações no processo de cicatrização dos tecidos e recuperação.

Rinoplastia: Exposição ao sol

Após se submeter à rinoplastia, o paciente não deve se expor ao sol por pelo menos 30 dias. É recomendado utilizar filtro solar de proteção 30 ou mais neste período (de acordo com tom de pele; quanto mais clara a pele, maior deve ser o FPS).

O ideal é passar o protetor solar a cada duas horas, mesmo se estando dentro de casa. Isso ajuda a evitar que a luz do monitor do PC ou das lâmpadas domiciliares, por exemplo, incida na pele de forma prejudicial. Não se trata de um fator capaz de influenciar no resultado, porém, se existir equimose (rouxidão) na pele, poderá ocorrer mancha definitiva no local. Também, o calor do sol contribui para a demora na resolução de edemas e inchaços.

Além disso, a radiação ultravioleta pode manchar a pele e comprometer o resultado estético de toda face. No geral, a ida a praia ou piscina só é liberada pelo cirurgião depois de no mínimo, 1-2 meses.

Óculos de sol

Vale ressaltar que, mesmo com a necessidade de proteção solar, o óculos de sol não é recomendado durante o primeiro mês do pós-operatório. Isso porque, o peso do acessório sobre a estrutura nasal pode atrapalhar no resultado, especialmente se tiver enxertos no dorso ou fratura dos ossos nasais.

Para mais informações educativas, pergunte diretamente para o Dr. Marcelo Wulkan ─ médico desde 2002, cirurgião plástico e membro especialista e titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica com doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP). O Dr. Wulkan também é membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), International Confederation for Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery (IPRAS) e da American Society of Plastic Surgeons (ASPS). Autor de 2 livros de temas de cirurgia plástica.

O Dr. Wulkan faz parte das seguintes entidades médicas:
Certificados
Certificados
Certificados